small image E-book: Apache NiFi para leigos

Impacto

O BoaVista incorpora hoje em dia aproximadamente 140 conjuntos de dados, mais de 4.000 tabelas acessadas por mais de 1.500 usuários em 35 entidades públicas diferentes no governo do estado de Santa Catarina.

Esses usuários do setor público são responsáveis por mais de 90% do orçamento anual de Santa Catarina.

Arquitetura de dados
Indústria

Setor público

País

Brasil

Site do Cliente

Santa Catarina pode ser um dos menores dentre os 26 estados do Brasil em espaço trerritorial, mas o estado mais do que compensa o tamanho por meio de sua economia diversificada e industrializada, que tem o terceiro maior crescimento do país, 2% acima da média nacional. O Centro de Informação e Automação de Santa Catarina (CIASC) é uma empresa estatal de TI que oferece suporte e tecnologia de melhoria de processos para as várias secretarias do governo de Santa Catarina.

Big data, mas dificuldade em ver o todo

No setor público, o compartilhamento eficaz de dados e o fácil acesso à informação são uma receita forte para uma política de sucesso, mas a cultura de trabalho é muitas vezes resistente à cooperação entre agências. No Brasil, o CIASC procurou mudar essa mentalidade construindo uma infraestrutura de coleta e padronização de dados acessível a todas as dezenas de secretarias governamentais do estado.

A estrutura política do Brasil determina um sistema de responsabilidade compartilhada entre as entidades federadas (governo federal, estados e municípios regionais). Nesse sistema, a saúde, a segurança, a educação e quase todos os outros serviços essenciais dependem do Estado até certo ponto. Uma das funções mais importantes do CIASC é desenvolver soluções técnicas orientadas por dados para apoiar as políticas estaduais que regem as secretarias que prestam esses serviços.

Infelizmente, os funcionários do governo de Santa Catarina não estavam compartilhando consistentemente dados ou conhecimento, uma desconexão não incomum em entidades do setor público sempre com poucos recursos. Uma secretaria cria um processo para usar dados, e outra secretaria, com uma necessidade semelhante, cria o próprio processo também. Por exemplo, se alguém na secretaria de agriculta solicitasse informações administrativas da secretaria de recursos humanos do estado, a agricultura receberia um carregamento de dados do data warehouse do RH em vez de ter acesso a informações utilizáveis desde o início. Outra secretaria que precisasse dessas informações enviaria a própria solicitação e receberia um carregamento para download de dados semelhante. A dificuldade inerente ao processo desencorajou o compartilhamento de informações e impediu o governo de tomar decisões baseadas em dados ao formar políticas públicas.

O governo precisava de uma plataforma holística que pudesse ajudar os administradores, o pessoal de TI e os formuladores de políticas a entender os dados de diferentes secretarias e ver o panorama geral das necessidades dos moradores em todo o estado.

Um estado, uma infraestrutura de dados

Em 2016, o CIASC começou a trabalhar com a Cloudera para desenvolver uma infraestrutura de dados que apoiasse os esforços regulatórios de Santa Catarina para incentivar a transformação digital e o compartilhamento de dados entre agências. Uma pequena equipe de técnicos e gerentes da empresa projetou um sistema para a Secretaria de Estado da Fazenda para melhorar o desempenho do processamento de faturas eletrônicas. A enorme quantidade de dados usada para gerar essas faturas exigiu que a equipe considerasse uma nova abordagem para o gerenciamento de dados.

Em quatro semanas, o CIASC desenvolveu e implantou uma infraestrutura distribuída de processamento de dados usando uma estrutura aberta que poderia armazenar e processar grandes conjuntos de dados com eficiência. Em alguns casos, o novo sistema permitiu que os gerentes de dados do estado acessassem as informações 14 vezes mais rápido do que antes. Quanto mais conjuntos de dados pudessem ser integrados ao projeto, mais funcionários públicos poderiam confiar na infraestrutura para ajudá-los a resolver problemas complexos. Além de melhorar o processamento de faturas, o sucesso da estrutura ajudou a mudar a mentalidade do setor público ao mostrar o valor do acesso aberto aos dados.

Depois chamada de Projeto BoaVista, a infraestrutura ofereceu um sistema centralizado para atender às necessidades de todas as secretarias do estado. Para incentivar os funcionários da secretaria a usar o novo sistema, o CIASC criou um login padrão e padrões para dados ingeridos na estrutura. Em seguida, a empresa ofereceu cursos de treinamento para ajudar os funcionários a criar consultas de banco de dados dentro da estrutura que poderiam usar e compartilhar com colegas em outras áreas do governo estadual.

Integração de dados levando a serviços melhores

A BoaVista ajudou a mudar a forma como as pessoas pensam em compartilhar informações no governo de Santa Catarina. A infraestrutura foi muito útil durante os primeiros dias da pandemia da COVID-19, quando as agências governamentais foram obrigadas a reunir e comunicar informações de forma rápida com o governo federal. Com a BoaVista, o CIASC já tinha colocado em prática a fundação de um sistema de compartilhamento de dados.

Todas as principais secretarias, incluindo fazenda, saúde, segurança e agricultura, interagem com a Plataforma BoaVista, assim como o Tribunal de Justiça e o Ministério Público do estado. Algumas áreas do governo federal também utilizam a infraestrutura de compartilhamento de dados de Santa Catarina. A infraestrutura de compartilhamento de dados incorpora hoje em dia aproximadamente 140 conjuntos de dados, mais de 4.000 tabelas acessadas por mais de 1.500 usuários em 35 entidades públicas diferentes no governo do estado de Santa Catarina. Esses usuários do setor público são responsáveis por mais de 90% do orçamento anual de Santa Catarina. 

Esse compartilhamento permite que agências governamentais usem melhor os próprios dados e correlacionem esses dados com informações geradas por outras agências governamentais. Fazendeiros, técnicos de agricultura e funcionários públicos, por exemplo, contam com a plataforma InfoAgro (para a qual o BoaVista dá suporte) para ter acesso simplificado às informações dinâmicas e atualizadas relacionadas à produtividade das culturas no estado, aos custos e aos preços agrícolas. Outro exemplo tem sido a capacidade da Secretaria de Educação de melhorar a gestão de recursos humanos, contrastando informações em seu próprio sistema com dados fornecidos pela Secretaria de Estado da Administração, responsável pelos recursos humanos.

Após anos de crescimento dos recursos e da capacidade da infraestrutura de dados, o CIASC está migrando para a Cloudera Data Platform (CDP). "A CDP permitirá que secretarias governamentais desenvolvam acesso aos dados com base em regras, algo que o CIASC estava fazendo por eles", disse Raphael Tucunduva Gonçalves, gerente de soluções empresariais e inteligência de dados do CIASC.

"A mudança para a CDP libera o CIASC para planejar novas formas de usar machine learning e inteligência artificial. Temos um repositório muito bem organizado de dados em todo o estado que o ML e a IA poderiam usar para prever as necessidades do estado e dos cidadãos. Esses são os tipos de soluções que queremos oferecer às nossas secretarias no futuro", acrescentou Tucunduva Gonçalves. Exemplos podem incluir acesso aos modelos de previsão que melhoram a produtividade das colheitas de milho e mecanismos para melhorar a segurança cibernética.

O CIASC ficou muito satisfeito com o suporte ao cliente da Cloudera durante a transição. “Com o suporte ao cliente da Cloudera, conseguimos atingir nossas metas muito mais rápido do que faríamos sem esse recurso. É muito mais fácil quando podemos consultar pessoas que conhecem a plataforma que usamos e têm respostas eficazes para nossas demandas e desafios. Isso aumentou de maneira significativa nossa capacidade de gerar resultados e nossa confiança em sustentar uma plataforma tão complexa”, disse Tucunduva Gonçalves.

A migração para a Cloudera Data Platform (CDP) libera o CIASC para planejar novas maneiras de usar machine learning e inteligência artificial. Temos um repositório muito bem organizado de dados em todo o estado que o ML e a IA poderiam usar para prever as necessidades do estado e dos cidadãos. Esses são os tipos de soluções que queremos oferecer às nossas secretarias no futuro

Raphael Tucunduva Gonçalves, gerente de soluções empresariais e inteligência de dados do Centro de Informação e Automação de Santa Catarina (CIASC) no Brasil.

Your form submission has failed.

This may have been caused by one of the following:

  • Your request timed out
  • A plugin/browser extension blocked the submission. If you have an ad blocking plugin please disable it and close this message to reload the page.